Conto infantil "O gato Belé"

by - maio 04, 2018


Eu adoro dar uma fugidinha de casa. Não que a vovó não condene esse ato e me dê muitas broncas. Mas um gato precisa conhecer o mundo. Não o mundo inteiro, eu quero dizer a minha rua. Tenho muito trabalho aqui fazendo cara feia para gatos intrusos e até cachorros. Todos temem o leãozinho aqui, é só eriçar meus pelos e eles saem correndo.
Nessa rua onde sou o leão há uma casa bem maior do que a minha, onde sempre vejo alguns pequenos humanos. É claro que eles se apaixonaram por mim. Nessa casa mora Breno, um garotinho gordinho que adora ficar alisando meu pelo.
- Vem cá, bola de pelo, você quer morar na minha casa?
Ela fala acarinhando, faço charme, deito de barriga pra cima e dou umas mordidas só de eleve porque ele ainda parece uma espécie de bebê humano.
- Ei, Belé, você quer ser meu gatinho?
Por mais que o carinho esteja bom, sei que tenho que voltar pra casa correndo porque se a vovó me pega aqui fora, vou ouvir um sermão sem fim. Ela é a melhor humana do mundo, mas é muito protetora.
Logo quando Breno ia dividir comigo seu saboroso salgadinho, vejo o portão da minha casa se abrindo.
- Vem, Mingau! Quantas vozes falei pra você que não pode ficar na rua? Ah, bom dia, Breno!
Preparei uma cara de fofo para ser desculpado enquanto ele falava:
- Bom dia, dona Maria, eu queria tanto um gatinho assim. Eu sempre brinco com o seu gato. Ele é tão gostoso de alisar e apertar!
Muito bonito! O garoto entregou o meu segredo sobre as minhas saidinhas!
- Ah, que pena! Os irmãos do Mingau já foram doados, eu ofereci a sua mãe, mas ela não pôde ficar com nenhum. Infelizmente um gato não seria aceito em sua casa.
- Pôxa,mamãe e sua mania de que animais fazem mal! Mas eu queria que o Belé fosse meu! Desculpe, eu chamo ele de Belé, ele tem cara de Belé!
Os humanos fazem uma confusão com meu nome, primeiro eu pensei que meu nome era Não! Depois Desde daí! Agora eu entendo que essas palavras fazem parte das broncas. Minha vovó sorriu quando eu deitei novamente para ter minha barriga acariciada.
- Ei, ele está feliz, ele gosta do nome que você deu. Parece que vou ter que chama-lo de Belé também. Vamos fazer um rato, de vez em quando você pede a sua mãe pra vir ficar com o Belé aqui em casa, assim ele fica sendo um pouquinho seu também.
Adora eu tenho dois humanos, o pequeno humano ficou muito feliz e sempre vem me ver, a vovó fica toda animada, coloca um desenho na tv, ele joga bolinhas pra mim e temos momentos muito divertidos! 

(Daniele C.S)

You May Also Like

1 comentários

  1. Oi, Dani!

    Que graça de conto! Tenho uma gata e uma cachorrinha, e achei super legal encontrar um conto do ponto de vista do animal, é sempre uma forma diferente de abordagem e que acaba provocando risadas!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar meu espaço. Fico muito feliz com comentários, mas apenas sobre a postagem. Opiniões, elogios e críticas construtivas são bem-vindos.
Para outros assuntos, use o formulário de contato.

Instagram